segunda-feira, 9 de março de 2009

O tal do Padre...não o dos balões...aquele outro...

Ultimamente estamos numa péssima fase quando o assunto é padre, bispo, arcebispo e afins...rs

Desculpem minha ignorância religiosa, mas...existe algum exame, juízes ou sei lá o que...
que determinam quem pode ou não "representar Deus aqui na terra"??? Se a resposta for sim...que tipo de Deus absolve um pai que estruprou e engravidou a filha de 9 anos??? e ainda abusava da outra filha deficiênte! Se não..ta na hora de existir...
O que passa na cabeça do arcebispo de Olinda e Recife, Dom José Cardoso Sobrinho ??? Será que não pensou, nem por um minuto, no sofrimento e trauma dessa CRIANÇA...ao ter 2 filhos, frutos do abuso de seu próprio pai ?! Décadas de terapia....mas como o que o pai fez não está entre os 10 mandamentos...a igreja perdoa...né? Afinal devemos amar e procriar...mesmo que seja com a própria filha !! Heim???
O pior é a "culpa" cair nos ombros dos médicos, que salvaram a vida dessa menina!!

Talvez seja por isso que a igreja católica, que proíbe camisinha em tempos de AIDS e absolve atos tão absurdamente surreais como este, esteja tão desacreditada ....Bem cantavam os titãs nos anos 80 !!!

Mas, pra ser um pouco mais atual, usemos as falas do filme tropa de Elite : arcebispo Dom José Cardoso Sobrinho ...pede pra sair !!

7 comentários:

Gian Naressi disse...

eu apoio 100% o trabalho destes médicos... Aposto que ele agiria diferente se a vítima fosse da família dele... E q essa menina tenha mesmo a ajuda de um psicólogo por qt tempo for necessário..

Marcelo Coutinho disse...

mais uma vez a igreja católica dá motivos pra que muita gente mude para outras instituições.

não há racionalidade nenhuma em nada do que essa excomunhão indica.

afinal, qual a conta? nascem 2 sem mãe, ou morrem 3 no momento do parto? sobra quem pra contar a história? excomungue o padrasto, se é pra fazer algo com correção.

Cesinha disse...

Concordo com todos e se todos concordarem comigo podemos talvez amarrar esse arcebispo em balões.
O que acham???

Splesh disse...

tem meu total apoio!
Vamos amarrar esse arcebispo em balões (mas não muitos).

Andréa. disse...

Olha, também fiquei chocada com a posição da igreja, sobretudo em relação a equipe médica que agiu para preservar a vida da criança. Já em relação a mãe... não sei não. Como assim, "não sabia dos abusos"?! Suas filhas foram abusadas durante anos. Cansei de ouvir histórias de mulheres que fazem qualquer negócio para não perder "seu homem". No mínimo, essa mãe, apresenta uma total falta de estrutura emocional e uma enorme incapacidade de proteção.

Andrea galletti disse...

Lendo os comentários, percebi o quanto é difícil julgar alguem, parece que nessa história existem mais vítmas do que culpados..
Mãe - as vezes não pode se separar de um monstro, por não ter pra onde ir com 2 filhas,ainda mais uma sendo deficiênte,se for trabalhar, com quem fica a criança e as vezes a opção é permanecer e se calar.( n que seja certo)
Pai - um doente, que precisa ser tratado..como terá sido sua história de vida? neste momento deve ser afastado do convívio social..
criança - nem preciso comentar, ela é a maior das vítimas, responsavel por aguentar a loucura do pai e impotência da mãe...
Padre - vítima dos dogmas que acredita, de uma igreja que não se atualiza, que possui uma visão fechada..
médico- sensato, salvou a vida da criança, mas foi vítima do julgamento religioso..
nós - vítimas por vivermos num mundo com tantas injustiças sociais,tão violento. O noticiário é algo de difícil deglutição devido a tantas desgraças...
O jeito é respirar fundo e pelo menos fazer um mundo melhor dentro das nossas possibilidades, em nossa familia, com nossos amigos..e ser feliz!!

paulapuc disse...

Quero deixar claro antes de tudo que sou a favor do que foi feito.

Porém, tenho ouvido explicações de quem é contra. E a principal é: "é correto cometer um assassinato para tentar corrigir (corrigir?Isso tem correção?)esse abuso?

Pensam assim por julgarem que aborto é assassinato. Essa história de assassinato é questionável, afinal para alguns um feto ainda não é uma vida,uma criança e já para outros é.

Já essa menina que está passando por isso ESTÁ VIVA,É uma criança, fato inquestionável.
Sendo assim, acredito que o foco deve estar em salvar a vida DESTA menina, que já tem uma história de vida, que aliás já está sendo escrita de uma forma muito triste.